• Vivi

Elisa chegou!

Sumi, eu sei… tudo ficou bem corrido aqui com o final da gravidez e recebendo amigos e família aqui na cidade. Passeamos muito e esperamos muito também a chegada da nossa pequena Elisa. Acabei me reclusando um pouco, na correria para fazer coisas pro enxovalzinho cor-de-rosa, e matando a saudade de amigos tão queridos!

Eu achava que a Elisa chegaria cedo.. não sei porque. Não estava ansiosa nem nada, mas eu achava que ela ia chegar cedo. Minha barriga já estava bem baixa já com 37 semanas.. Mas foi lindo como Deus preparou esse momento da chegada dela – tudo foi um processo. Foi um processo físico que demorou algumas semanas, e foi um processo mental e espiritual para mim, de confiar que Deus faria com que tudo aconteceria como eu pedi a Ele.

O Bernardo nasceu de cesárea. Eu sonhei muito com o parto natural dele. Treinei, me programei, fiz fisioterapia, me encontrava com minha “doulamiga” Pri, e lia muito. Mas infelizmente, e um dia com certeza vou entender, meu sonho de vivenciar um parto natural não aconteceu.

“A gratidão sempre precede o milagre.” Ann Voskamp

Quando engravidei da Elisa, de surpresa e sem programação, eu me vi com um desafio nas mãos. Sempre tivemos plena convicção de que a vida dela não tinha sido planejada por mim e pelo Rodrigo, mas completamente planejada por Deus. E assim a amamos muito desde o iníciozinho. Os desafios para o nascimento dela seriam grandes – financeiros principalmente. Mas decidimos confiar em Deus – se Ele mandou a Elisa, Ele certamente iria cuidar de tudo o que teríamos que pagar para ela nascer. E aconteceu exatamente assim. Deus moveu nosso coração para crermos nEle, e Ele fez. Ele moveu corações de diversas pessoas, e assim conseguimos cobrir todos os custos do pré-natal e do parto.

Restava então confiar de que Deus iria agir também completamente na saúde dela e na minha para o parto. Orei muito e conversei muito com Deus quando passei das 30 semanas de gestação. Por estar na Austrália, eu sentia que meu sonho de viver um parto natural estava mais ao meu alcance. Minha médica desde o início me tranquilizou dizendo que eu poderia tentar o parto normal mesmo em menos de 2 anos da cesárea do Bernardo, mas que ele teria que acontecer sem indução alguma – natural, exatamente como eu queria.

E depois de muitos dias com contrações sem ritmo certo, cesárea marcada para 40 semanas e 5 dias, chegou o dia 10 de julho: 40 semanas e 1 dia. Comecei a ter contrações sem ritmo desde a madrugada, e ficou assim a manhã toda. Conversei com minhas doulamigas Pri e Mari, e elas me disseram que ainda poderia demorar. Chorei frustrada. Orei e dormi. E à tarde decidimos ir passear – eu estava convencida de que ainda não era o dia. Fomos pro Ikea e andando pelos ambientes, eu ia “testando as cadeiras” a cada 15-12 minutos. Mas de repente percebi que tive que sentar muito rápido.. as contrações já estavam de 7 em 7. Continuei olhando no relógio, mas aí as cadeiras sumiram! Cheguei a me agachar na frente do carrinho do Bernardo fingindo que estava conversando algo com ele! E então fiquei bem assustada – já estavam de 4 em 4! Corremos pra ir embora, liguei para o hospital, e nos vimos presos num trânsito de 1h até o hospital. Ficamos em oração, conversando coisas diversas pra eu me destrair um pouco – e tudo se acalmou – as contrações voltaram a vir a cada 7 min. Deixamos todos em casa e na frente do hospital, oramos para que Deus cumprisse a vontade dEle e nos desse uma equipe simpática dentro do hospital.

Ninguém acreditava que já estava na hora porque eu tava muito tranquila, sorrindo, conversando. Mas então a bolsa estourou umas 19h. 3 cm de dilatação e contrações cada vez mais fortes e frequentes. Quando minha médica chegou, uma hora depois, para dar o veredito – disse que eu não precisaria de cesárea. Eu já estava com 6 cm e Elisa nasceria antes da meia noite. Disseram isso animadamente! Quando descobri que ainda eram 20h, achei meia-noite muito distante para o tanto de dor que eu sentia – hahaha! Mas veio a vontade de empurrar logo, logo. Trouxeram um espelho imenso e posicionaram na minha frente pra eu ver minha filhinha nascendo. A enfermeira ficou do meu lado e me encheu de ânimo, me instruindo como respirar para empurrar. 15 minutos depois, a Elisa já estava no meu colo. Linda, muito parecida com o Bernardo, mas ainda completamente Elisa, única. Uma nova vida que Deus mandou para nos ensinar que Ele nos ama ilimitadamente, realiza os desejos dos nossos corações, e cumpre tudo o que promete.

#austrália #agradecimento #baby #bebê #gratidão

based in sydney, australia.

say hello at vivihomestudio@gmail.com

© 2019 by Vivi Home Studio. Proudly created with Wix.com

  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black YouTube Icon
  • Black Spotify Icon